sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Não temos tempo a perder.

Talvez ainda seja realmente cedo pra falar de você. Mas, eu não posso me esquecer que você é amor, então, eu não posso me negar a escrever sobre amar.
E eu te amo.
Não te amo somente por você me dar a possibilidade de reescrever. Eu te amo por que eu sei que mesmo sem algum motivo óbvio para fazer isto, você abre mão das suas próprias vontades por mim. E me ama... E nós sabemos, bebê, que mesmo que todos os horóscopos apontem divergências entre nós ou não, nós fazemos todas as impossibilidades virarem possíveis no minuto seguinte. Fazemos todas as despedidas transformarem gradativamente num pedido de volta. E, acredite, eu não volto apenas por você. Eu volto por mim. É você que traz tranquilidade e me faz acreditar que eu posso ser alguém melhor mesmo cheio de limitações. Você me traz a esperança de que tenho chances. Você me faz acreditar de que medo é tão somente uma oportunidade de crescer. E você não imagina como eu busquei isso por todos lados..
Mas a grande questão é exatamente essa. Mais uma vez a vida pedindo para eu abrir os olhos e perceber que as melhores coisas da vida não significa que está dentro de tudo que planejamos, buscamos e queremos... As melhores coisas da vida chegam de mansinho, tomando (às vezes) um lugar que nem era seu, mas um lugar que se encaixa perfeitamente dentro de tudo aquilo que você precisava. E quando temos a sensação de um encaixe, assim como num quebra-cabeça confuso, passamos a entender que a questão do tempo é tão somente o próprio tempo quem faz. Nós perdemos a dimensão entre o que podemos ou não fazer baseado no tempo que passou ou que ainda há de vir. Perdemos a noção entre aquilo que têm lógica e o que não faz sentido... Quando há preenchimento não é necessário a busca de respostas.
Mas, se mesmo assim, você quiser ouvir de mim, algo quase satisfatório para as suas dúvidas, permita-me dizer: Nem eu entendo o porquê, só sei que amo você... E mesmo que tudo terminasse aqui eu já poderia dizer que valeu a pena.
Obrigado por me ensinar que é possível jorrar água na fonte que já secou. Obrigado por me mostrar claramente de que não temos tempo a perder.

Matheus Araujo Dias.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

1996

Se eu contasse quantas vezes eu já pensei em desistir acho que perderia as contas rápido demais. Do mesmo modo como eu me perco todas as vezes que penso qual o passo que me faria prosseguir. É algo confuso. É um medo tão grande do futuro correndo ao lado de uma vontade tão grande de crescer, sabe?
Medo.
Não sei se um dia eu vou conseguir vencê-lo, mas eu sinto que cada pequena conquista é um avanço. A questão é: Pra onde estou avançando? Pra onde estou indo?
Mas, quanto a isso não me espanto. Minha vida sempre foi assim. Nunca soube definir para onde eu estava indo, mas sabia me virar bem nas vezes em que devia fazer o retorno e começar de novo. Uns chamam de agilidade, outros de desenvoltura. Eu, ainda não sei se isso é uma qualidade... Eu não consigo lidar com a expectativa das pessoas em assistirem o meu próximo passo enquanto eu num piscar de olhos já fugi do meu próprio espetáculo.
Espetáculo.
Minha vida não pode se resumir a isso, assim como as pessoas não podem esperar apenas excelência em mim. Eu não quero isso. Eu não gosto dessa cobrança. E quer saber? Eu já me cobro por mim e por todos vocês juntos. Isso já basta. E não precisa me olhar com essa cara de quem espera que eu apague tudo que falei. Sempre disse que estava pra nascer alguém que ia me tirar do eixo.
E nasceu.
E me tirou.
E me fez esquecer tudo o que eu dizia ser eu.
Nasceu em 1996 e desde o dia em que me conheceu me fez viver uma vida de recaídas. Qualquer semelhança com um alcoólatra é mera coincidência. Eu esqueci de mim, você me viciou em você.
Agora, a definição exata para este novo momento da minha vida eu ainda não sei. Dizem que tudo aquilo que te faz feliz também provoca dor. E com você não está diferente. Ainda não consigo explicar qual a sensação de perceber que a pessoa que mudou meu jeito de pensar hoje é a mesma que vira as costas pra mim sempre quando me vê por aí.
E talvez a culpa seja mesmo nossa de querer impor as nossas vontades em cima do trajeto que o próprio destino já desenhou para cada um de nós. Portanto, me perdoe se eu te desejei mais que a mim mesmo. Me perdoe se eu trouxe uma responsabilidade pra você de carregar todo o meu amor nas costas. Se ainda resta um pouquinho dele com você largue-o e vá em paz, você cumpriu o seu papel para comigo. Talvez não saiu do jeito que esperávamos, mas você, bebê, me fez sentir uma pessoa melhor mesmo carregando vícios difíceis de largar. Obrigado por me fazer sentir especial mesmo com tão pouca coisa a lhe oferecer.

Matheus Araujo Dias

domingo, 29 de setembro de 2013

O melhor de mim

(Texto baseado no livro "O melhor de mim" de Nicholas Sparks)

O amor nunca foi algo fácil de ser compreendido e sairia da ordem natural das coisas se as nossas escolhas não seguissem a mesma linha.
A linha da incompreensão.
Você não está acostumado a compreender ninguém. Nem está interessado em se esforçar para entender como foi que chegou exatamente no lugar que você está. Acredite, tudo que você for dizer para esclarecer onde está e o que é, não passa de mentiras de superação criadas por você mesmo. É menos agoniante escondermos nossas decepções dizendo o quanto amadurecemos com histórias passadas.
Pois bem, não espere de mim nada além disto. Talvez o que tenho a dizer hoje não passa de mentiras de superação e o medo de ser descoberto. O medo de descobrir onde está o erro; O medo de descobrir onde eu fiz a escolha errada; Mas, para todos os efeitos, sim, eu também dei o meu melhor...
Se você conseguisse entender de fato que eu morri pra mim mesmo, talvez você entenderia a intensidade da minha entrega. Claro, não digo morrer fisicamente, mas de todo meu entendimento. Minha paz de espírito nunca mais foi a mesma. Minha mente nunca mais foi a mesma. Consequentemente, as batidas do meu coração ganharam um novo ritmo. Este é o meu melhor. Meu coração sempre foi teu. O que mais você quer de mim?
Talvez eu tenho o mesmo medo de Dawson de seguir em frente. Talvez? Não, preciso ser realista.
Eu.tenho.medo.de.seguir.em.frente.
Sim, tenho medo de fazer planos e viver a vida incompleta de Amanda. Tenho medo de criar projetos e perceber que o meu melhor ficou no passado. Um passado que talvez eu não teria como resgatar. Assim como o amor de Dawson e Amanda. Entende o peso das escolhas?
Talvez - só talvez - realmente não existisse outro final para esta história. Se não terminasse dessa forma não seria o fim. Seria mais uma tortura para o casal conviver com as consequências das novas decisões. Se não terminasse assim Dawson não daria o seu melhor.
E o que eu tenho com isso? Nada, além da convicção exata de que o fim revela que o melhor está por fim. Continuo batendo na tecla de que o fim revela o começo. Então, sem dramas. Sem perguntas. Sem tortura. É hora de um novo livro. É hora de dar lugar a uma nova história. E não importa o quão doloroso será o futuro, eu continuarei dando o melhor de mim.

(Leia o livro "O melhor de mim" de Nicholas Spaks)

Matheus Araujo Dias

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Estou livre!

Hoje eu parei pra pensar quanto tempo perdemos nessa brincadeira de querer ou não querer. Quanta coisa deixamos de viver e passamos a agir com frieza, indiferentes, esperando que o destino faça alguma coisa por nós... Ele não vai fazer, porque ele sabe que nós não faríamos valer a pena. Sabe que não soubemos lidar com todo esse sentimento que temos um pelo outro e sabe, como sabe, que as nossas escolhas vão falar mais alto do que um horóscopo idiota dizendo o que vai acontecer conosco. Eu vou te dizer, bebê: O que vai acontecer conosco é coisa que só eu e você precisamos saber. No máximo, as pessoas certas pra compartilharmos. Mas de resto, são apenas pessoas que também escolheram ser indiferentes e acompanhar tudo que se passa na vida alheia.
Não que eles estejam errados em dizer que nada vai dar certo. É visível que jogamos tanto sentimento fora. É nítido que eu fui o juiz dando minha própria sentença: "Viver preso no passado se perguntando por que de algumas coisas não darem certas enquanto tem muitos outros "porquês" para serem desvendados. Muitas outras pessoas que merecem atenção. Muitos outros momentos que precisam ser vividos."
Mas por que eu demorei tanto pra perceber que não era o fim do mundo? Um amor não correspondido é uma nova chance de você amar a si mesmo. Eu aprendi, e agora quero gritar para todos os cantos. Não para que repensem no seu amor próprio, mas para que se deixem pensar, com racionalidade se é mesmo o seu destino viver curvado a alguém que não sabe amar. Ou que não quer amar. Tanto faz!
O fato é que você escolhe sim com quem vai passar seu tempo. São relacionamentos, uns mais complicados que os outros. O coração é complicado, eu sei, mas precisamos descomplicar aquilo que está ao nosso alcance. Não dá? Não dá! Não quer? Não quer! Já deu motivo para desistir? Desista! Se fazer insistir vai fazer você desistir de si mesmo, então desista! Dizem que amar é tornar-se um só não é mesmo? Para ser um eu preciso amar e ser amado. Cuidar e ser cuidado... 
Chega de viver preso em algo que deu errado. Eu preciso respirar de novo. E já consigo ouvir uma voz dentro de mim dizendo: "Você está livre de sua sentencia!"

Matheus Araujo Dias

terça-feira, 30 de julho de 2013

Um novo amor, por favor.

Não tem jeito... quando se perde peças de um quebra - cabeça ele não vai ser mais completo. Mesmo que seja uma. Mesmo que seja a menor. Para ser inteiro é preciso ter todas as partes.
Não tem jeito... quando não tem um ingrediente o resultado não será igual. Mesmo que seja apenas um. Mesmo que seja o mais simples. Para ser inteiro é preciso de todos os ingredientes.
Não tem jeito... quando se perde um amor a história do final do feliz não será a mesma. Mesmo que você conquiste outro amor. Mesmo que faça os mesmo planos. A sequência dos fatos não serão as mesmas. O sentimento não será o mesmo. As sensações não serão as mesmas. Não importa o quanto o "novo amor" é perfeito. É ideal. Cada um tem suas qualidades - e defeitos - que nunca será da mesma forma que o outro.
O jeito, é montar outro quebra - cabeça. Fazer outra receita. E lutar consigo mesmo pra esquecer o antigo amor. Convencer a si mesmo que agora está melhor. E não quero ser desanimador... isso não é uma tarefa fácil.
Mas tudo isso servirá pra mostrar que no final das contas, amigo, não é um novo amor que vai curar suas velhas decepções. É você quem se permitiu acordar todos os dias com a expectativa de viver o novo.

Matheus Araujo Dias

domingo, 30 de junho de 2013

Você é um erro!

E a cada dia que passa eu tenho mais certeza de que ainda tenho muita coisa a aprender. Tenho consciência da minha dificuldade em acertar alguns pontos da minha vida. Talvez isso me faça errar mais... Errar na hora de ligar pra você; Errar na hora de não me segurar e mandar aquela mensagem que vai me deixar nas suas mãos; Errar em achar que existe alguma coisa onde não tem; Errar da forma irônica que respondo transparecendo todo ciúmes que tenho. Ciúmes do que eu não tenho. Ciúmes de quem não é meu... Sim, eu erro todas as vezes que penso em você. E não sei por que insisto... dói todas as vezes que eu percebo que tudo isso é um erro. Você é um erro. Mas aquele erro que ninguém larga. Aquele erro comum, que ninguém consegue fugir.
E eu sei que tenho que fazer diferente. Cansei de amar pelas duas vias. Cansei de idealizar um amor. Cansei de ler tudo que você escreve sabendo que não é pra mim... E faz todo o esforço pra deixar isso bem nítido. Portanto, agora eu vou tentar fazer do meu jeito... Mesmo tendo a consciência de que você tem a chave do meu coração desde quando eu passei a te conhecer melhor. Mas, pra você não entrar, eu troco até a fechadura. Eu tranco todas as janelas. Se quiser voltar, vai ter que fazer uma destruição maior do que a que já deixou... Chega de viver daquilo que eu alimento na minha cabeça. Estou falando de mim. Tenho que cuidar de mim. É a minha vida, não é brincadeira.
Por falar em brincadeira, amor, deve ser prazeroso brincar com quem gosta de você, né ? É um passatempo a mais... Quando se cansar, já tem onde se segurar. Quando quiser mais, já tem outro a quem buscar. Fácil desse jeito até eu deito na minha cama, pego meu celular e brinco mandando as palavras que qualquer um gostaria de escutar. Mas vai com calma, isso tá acabando comigo. Vai devagar, minha mente é fértil, meu coração é bobo... Você sabe que me tem em suas mãos. Ou me liberta de vez e me deixa partir, ou você tem todo o direito de fazer o que quiser de mim. Desde que cuide de mim. Desde que faça ser real tudo aquilo que eu imaginei. Desde que faça a minha vida ser um erro daqueles que eu nunca mais queira largar.

Matheus Araujo Dias

terça-feira, 18 de junho de 2013

Se eu prometi, vou cumprir!

Eu me lembro daquele dia todas as vezes que vou me deitar. Eu repito aquelas palavras todas as vezes que eu acordo. E fico me martirizando todas as vezes que lembro... que digo. E dói... Mas mesmo assim não me esqueço quando prometi cuidar de você.
E eu sei, amor, que muito tempo passou. Sei também que muita história rolou. E mesmo que você se espante eu também sei que muitos amantes chegaram. Muitos amores se aproximaram. Muitos sorrisos escamparam... E que bom que foi assim. Que bom que nada parou. Que bom que você continuou sorrindo. E eu também sorri. Eu também vivi. Eu também me levantei acreditando num dia melhor... num dia diferente. Mas, não adianta. Todos os dias eu me lembrava da mesma promessa que fiz de cuidar de você. E não me arrependo, mesmo que essa promessa me persiga pro resto da minha vida.
Mas, ainda tenho esperanças que um dia você vai entender que eu sempre fui fiel ao que eu disse. Vai entender que eu sempre cuidei de você mesmo que eu não estivesse necessariamente perto. Aliás, neste caso, permanecer longe é só mais uma forma de cuidar de você... Portanto, bebê, não vamos dificultar. Quero falar com você apenas o necessário. Pretendo não ter recaídas e não mandar mensagem nas madrugadas. E espero que isso funcione nas duas vias... Então, já que pretendo cumprir com essa promessa também, gostaria de dizer pela última vez que eu te amo, e pretendo, com tudo que há em mim, que esse sentimento acabe de vez. Mas, se não acabar, se mesmo assim Deus não tirar você de mim, eu vou te esperar... vou continuar esperando até que você perceba que eu sempre fui teu. Vou esperar até que você perceba que você pra sempre foi minha. E vamos ter tempo pra rir de todo esse tempo perdido deitados, mais uma vez, observando a lua. Vamos ter tempo de viver tudo aquilo que evitamos viver... evitamos pensar. Se você for minha, eu não vou me importar de todas as vezes que você tirou meu sono, nem me ausentar todas as vezes que você precisar de um abraço... mas, só se você for minha.
E o que me resta? Confiar, mais uma vez no carinha lá de cima.
Acreditar que ele escreve certo, mesmo em linhas tortas. E acreditar que ele vai colocar tudo que eu tirar do trilho novamente no seu devido lugar... Eu mereço ser feliz por tudo que eu fiz, e ainda mais, por tudo que eu não fiz.
Matheus Araujo Dias

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Antes que o dia termine.

Eu sei que você não espera ler todas essas coisas, mas irei escrever. Mesmo sabendo que você já me conhece por inteiro. Mesmo consciente de que não vai mudar nada... Eu só queria te lembrar, antes que o dia termine, que eu amo você. E amo demais. E quando eu falo demais estou me referindo ao sentido real da palavra. É mais do que eu posso suportar. É um amor e um desejo que só você pode suprir.
Eu queria te dizer, bebê, que mesmo eu não querendo eu passei o dia inteirinho pensando em você. E não entendi nada do que me aconteceu hoje, na verdade. Tudo, tudo, tudo deu errado. Mas, o que eu entendo que é mais errado é você não estar do meu lado. É a gente não viver tudo isso que temos pra viver. É eu dormir sem ouvir a tua voz. Acordar sem a tua mensagem. Não viver ao seu lado a "melação" do dia dos namorados, que eu particularmente não gosto... mas adoraria se passasse com você. Não só hoje, todos os dias. Adoraria eternizar tudo aquilo que eu escrevo aqui. Adoraria servir o teu café da manhã e sentir que tenho você. E me doar somente a você. Mais ninguém... só você!
Como eu queria meu amor, que hoje terminasse diferente. Como eu queria que a gente deixasse todo o orgulho de lado e você estivesse disposta nem que seja a passar os últimos minutos comigo... Como eu queria sentir o teu abraço e aliviar toda a carga do meu dia ruim... Como eu queria cochichar no teu ouvido que eu esperei horas, dias, meses, pra viver tudo aquilo que só se passava na minha imaginação... E sabe o mais estranho de tudo? É somente com você que eu me permito pensar em todas essas coisas. Não haveria problema em eu pegar na tua mão, não para mostrar pra alguém que você é minha, mas pra eu sentir a sensação de que agora não estou sozinho. Sentir o alívio de esperar todo esse tempo e me torturar com as noticias que diziam que você estava bem sem mim... Eu queria cuidar de você, porque só assim, bebê, eu estaria cuidando de mim mesmo. Você não precisaria de esforço pra me agradar. Não precisaria de surpresas todos os dias, mesmo que tudo que viesse de você seria muito bom... Mas, só bastaria você se permitir... me permitir.
Eu quero te dizer, antes que o dia termine, que eu estou aqui e sempre vou estar esperando por você, bebê.

Matheus Araujo Dias

domingo, 9 de junho de 2013

Eu quero por completo!

Eu juro que este é um texto difícil de escrever. Juro que meu coração está junto com você. Juro também que a minha vontade é de correr até seus braços e realmente ver no que vai dar. Eu juro que por muitas vezes eu pensei em me entregar a você. Entregar tudo que tenho. Entregar tudo que sou.
Você até pode pensar o que quiser de mim bebê. Mas eu preciso dizer que não posso mais me permitir. Nem ao menos pensar... Eu preciso dizer que eu não vou ser de alguém que prometeu saber se cuidar sem mim. Eu não posso ser de alguém que eu sei que não vai ser de forma integral. Não vai ser por inteiro. Não vai ser de verdade... E você também me disse que pra você tanto faz!  Lembra?! É pedir demais querer alguém a fim de ser todo seu? Eu não entendo... Mas que seja do seu jeito. Não vamos fazer uma tempestade. Não vamos calcular consequências, nem danos. Vamos viver. Reviver. Resgatar todo o tempo perdido. Reinventar uma nova vontade... E não preciso dizer que eu vou estar aqui sempre que precisar, mas sempre que se entregar por completo. Meias-palavras, meias-ações, meios-textos não substituem. Não acrescentam nada. Pelo contrário, só tem acrescentado dor. Então, se for pra ser feliz eu vou ser feliz. Se não der certo, eu vou recomeçar. Não tem problema. Mas tudo o que eu for fazer eu vou querer por inteiro. Chega de ter só aquilo que você quer me dar.
E se quiser me encontrar, se for pra ser diferente, estou na mesma avenida de sempre. Agora com passos mais certos, ciente do que eu quero pra mim. Encaixando algumas peças restantes...
Você até pode ter me perdido no momento que se mostrou indiferente, mas agora eu entendo, que de minha parte eu nunca tive você.

Matheus Araujo Dias

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Se for pra ser assim, vá embora!

Você vai estranhar quando perceber que está nas entrelinhas. Eu sei, é loucura, até mesmo pra mim. Mas por favor não me entenda mal: é natural do ser humano se apegar a qualquer sorriso no meio das dificuldades... Talvez se fosse apenas o teu sorriso estaria mais fácil de lidar com a idéia de que não posso me permitir pensar em você, mas, aqueles seus olhos negros e a cara que você faz todas as vezes que é surpreendida me faz acreditar e querer que você me tire dessa sensação estranha de não ter pra onde ir. Este é o problema. Eu não posso acreditar.
Não sei se você já percebeu mais meu maior defeito é não querer dar lugar a ninguém. É mais fácil pra mim viver uma vida onde eu não tenha que dar satisfações. É muito mais fácil pra mim o caminho que é mais curto... Mas, não tem jeito! Pra eu seguir em frente eu não posso encontrar com pessoas como você. Eu sei que vou travar todas as vezes que você olhar pra mim. Eu sei que vou tremer enquanto você espera uma resposta. Mas o pior de tudo é que eu sei que vou querer um pouco mais todas as vezes que isso se repetir. Eu sei, sei mesmo, que posso perder o foco e voltar tudo aquilo que já caminhei.
Então por favor, não me faça mais delirar com as suas "meias palavras". Não me deixe escrever uma história onde é você quem vai decidir por mim. Eu quero ter vida própria. Eu quero me controlar. Eu posso até te ouvir dizer, mas quero decidir por mim. Pela força que há em mim. Por tudo aquilo que levo comigo e todo o caráter que já moldei. Eu posso até estar sendo injusto mas dessa história eu já sei o fim: você vai me acompanhar até quando der, até quando quiser e eu não quero, meu bem, sentir a tua ausência quando for embora. Não quero me apegar pra depois você sumir. Não quero que me use enquanto tem algum interesse. Se for pra ser assim, vá embora. Eu vou ter que me acostumar e esquecer tudo aquilo que já guardei de você. Mas acontece que pra virar confusão não preciso de mais ninguém... já basta eu e meu coração.
Matheus Araujo Dias

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Cumpra a sua promessa.

Eu não sei por que depois de tanto tempo ainda lembro o teu nome.
Eu não sei por que você ainda está nos meus sonhos... e todas as vezes que durmo a imagem se repete me fazendo lembrar que eu não vivi nada disso de verdade, mas que eu não deixo de sonhar.
Eu não sei por que ainda insisto em querer te encontrar na mesma cadeira mesmo sabendo que você foi embora.
Eu não sei por que eu me apeguei tanto a alguém que troquei apenas algumas palavras.
Eu não sei por que ainda guardo aquele papel com a tua letra me passando o telefone que com certeza já deve ser antigo.
Eu não sei por que eu não tenho coragem de ligar e dizer que queria você por perto. Ou pelo menos, queria você por aqui, de volta, e eu indo ao teu encontro como quem não quer nada... Eu sinto a sua falta!
Reconstruir uma parte de minha vida sendo que não tivemos tempo nem pra bagunçá-la é totalmente incompreensível. Por que tudo ficou numa dimensão tão grande? Por que aqueles seus olhos grandes que me encontrava toda vez que eu passava naquela mesma porta não sai de minha cabeça?
E se você me perguntar como é que eu consigo conviver com tudo isso e ainda dar sentido a minha vontade de viver eu não vou saber te responder... Eu só não queria acreditar nem remoer dentro de mim, que tudo seria diferente se você voltasse a me fazer bem, olhando nos meus olhos e repetindo sempre que queria cuidar de mim. Pois bem, volte, preciso de você, cumpra a sua promessa. Venha cuidar de mim.

Matheus Araujo Dias

Não se programe!

Quem pegou o bonde andando certamente vai estranhar a forma em que falo da vida. Obviamente vai duvidar da forma em que falo de amor. Que duvide! Tens razão. O mais próximo do amor que eu consigo chegar é só o resultado daquilo que eu sinto... Viver parece estar cada vez mais fora de cogitação. Amar, sempre esteve, mesmo que por debaixo dos panos fora de cogitação. Mas não tem jeito, quando se trata de amor não há coberta (nem mesmo encoberta) que segure.
Você querer controlar a sua vida baseado naquilo que você acha bom pra você é lícito. Mas, você querer controlar a sua vida baseado em sofrer menos, em buscar o caminho mais rápido é uma correria totalmente inútil. Qualquer atalho que você pegar vai te levar pro começo de toda a sua trajetória... Chance de recomeçar e fazer do jeito certo ou é a vida te colocando onde você nunca deveria sair?
Talvez você não está entendendo aonde quero chegar com tanto vai-e-vem, mas a situação é exatamente essa. Quanto mais o ser humano se programa, mais perdido ele vai ficar. Quanto mais você fugir do amor, com mais força ele vai te atormentar. Lei da vida? Não, é a lei de quem escolhe errado. É a lei de quem acha que tem domínio próprio. É a lei que te obriga a entender que pra fugir daquilo que você não quer você vai ter que passar pelo mesmo... a diferença é apenas como você vai reagir no meio de tudo isso. O que você vai aproveitar dentre tantas oportunidades. O que você vai querer contar e quantas coisas você vai querer esquecer...
Acredite em mim, o caminho mais fácil de você passar por determinadas situações é deixando que as mesmas cheguem até você. Fugir de algo é fugir de você mesmo. Enganar a si mesmo. Viver aquilo que não era pra você viver... E não pense nunca que está preparado. Vá sim, de frente as dificuldades, porém desarmado. Quanto mais você se antecipar, menas munições você vai ter pra acertar o teu alvo.
No fim de tudo, amigo, você vai perceber que o tempo que você passou escolhendo o que viver era o tempo em que você desfrutaria das coisas que eram pra você ter.

Matheus Araujo Dias

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Se a gente tivesse um caso

Se a gente tivesse um caso,
Não a trataria com tanto descaso,
Mesmo que fosse obra do acaso,
Pediria perdão pelo meu atraso,
E ao teu coração um pequeno espaço,
Diria que valeu a pena todo cansaço,
Só por ganhar o teu abraço.
 

Se a gente tivesse um caso,
Teu presente viria num grande laço,
Com um recado num papel almaço,

Até pensaria em entregar um grande vaso,
Mas acharia que seria um fiasco,
Tudo pra dizer que o que sinto não é tão raso,
Mesmo depois de deixar meu coração em pedaços.

Se a gente tivesse um caso,
Eu insistiria em terminar o dia na rua,
Só pra juntos olharmos a lua,
Dizendo que a verdade nua e crua,
É que mesmo depois de tanto empurra-empurra,
O nosso amor pra sempre continua,
E minh'alma é tão somente sua.

Se a gente tivesse um caso,
Com minha sms você acordaria,
Deixaria de lado minha grosseria,
Mais tarde então você me veria,
Mesmo que fosse na correria,
Só pra dizer tudo que eu queria,
Você perceberia a minha histeria.


Se a gente tivesse um caso,
Você iria rir do meu jeito atrapalhado,
Eu cuidaria do seu coração amargurado,
Eu cantaria do meu jeito adaptado,
Você até teria vergonha de dizer "meu namorado",
Depois de me ver com qualquer roupa, todo largado,
Mas por você andaria até engravatado,
Faria tudo o que você achasse adequado.

Se a gente tivesse um caso,
Você receberia uma telemensagem,
Dizendo qualquer bobagem,
Na rua uma carruagem,
Em cima dela eu e minha coragem,
Você até pensaria que seria uma miragem,
Mas seria eu contando minha aprendizagem,
E fazendo suposições de nossas viagens.

Se a gente tivesse um caso,
Eu faria tudo pra te agradar,
Você até iria estranhar,
Juntos iríamos sonhar,
No frio iria lhe agasalhar,
No teu ouvido iria cochichar:
- Quero pra sempre te amar.

Matheus Araujo Dias


terça-feira, 9 de abril de 2013

Enquanto você perde um amor.


Enquanto você perde um amor,
Existe alguém passando fome,
Implorando um gole d'água, 

Alguém gritando seu nome.

Enquanto você perde um amor,
Existe alguém pedindo esmolas,
Preso numa depressão profunda,
Não sabe dizer onde moras.


Enquanto você perde um amor,
Existe um dilúvio levando sonhos,
Um redemoinho gigante,
Um menino chorando, tristonho.

Enquanto você perde um amor,
Existe alguém tão sozinho,
Implorando por companhia,
Um pouco só de carinho.

Tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo,
Coisas que de fato lhe assusta,
Mortes doídas, sofridas,
E você insiste que nada muda.


Mas deixa eu te dizer, meu amigo,
Você pode perder tudo que tem,
Mas largar um amor por puro capricho,
Isso eu não desejo a ninguém.

Perder um amor é morrer,
Matar sua própria humanidade,
Abandonar o sentido da vida,
Por pura vaidade, bobagem.


Matheus Araujo Dias

quarta-feira, 27 de março de 2013

Olhe para a lua, veja a nossa história.

Tão injusto quanto eu não estar ao teu lado, é você ignorar o sol. Ele pode não ser uma das melhores companhias, mas é ele quem faz tudo ficar mais claro. Tão claro quanto o nosso destino dizendo que devemos soltar as mãos e seguir em frente... Tão claro quanto eu voltando todo o trajeto gritando que lá na frente não existe nada de bom, uma vez que você não estará ao meu lado. Não existe dia. Não teremos sol. E não pense que tudo acabará em uma fogueira, um quase abraço e uma lua pra brindar a nossa teimosia de querer escrever o nosso futuro. Não pense que tudo vai se encaixar no momento em que entrelaçarmos nossos dedos. Sabemos que não será assim. Sabemos que não será fácil. E sabemos também, que estamos errados. Talvez errados só até a página 2, porém errados.
E por falar em páginas, meu amor, se fossemos escrever um livro, em nosso índice só teria temas dramáticos. Em cada página, haveria o suspense entre a possibilidade de um dia jogarmos nosso orgulho de lado. Nas entrelinhas, todos iriam descobrir que somos apaixonados um pelo outro. Portanto, no final, retomo mais uma vez: as últimas palavras seriam "seguir em frente!" No próximo livro, acredito que não teríamos mais leitores.
Não sei se você consegue me entender, bebê, mas o fato é que seguir em frente é totalmente não ter final. Seguir em frente, é não sofrer com despedidas mas saber que é quase um adeus. Seguir em frente é deixar as entrelinhas tornarem-se apenas a sinopse do nosso livro conturbado, onde nem eu sei dizer em qual categoria se encaixa. É o mesmo que gastar seu tempo em algo que lhe faz bem, mas sabe que não irá render. Não agrada ao público. Não agrada a ninguém. Mas idaí, seria o nosso livro, não é?
Talvez todo aquele encanto da lua, fogueira, uma música de fundo se perderia na nossa realidade de tudo terminar em pizza. Em mais uma história; Em mais um capítulo; Em mais uma noite perdida lendo o Gibi do Batman, enquanto eu insisto em dar lugar ao Mickey, só pra dar asas a mais um livro que já havia sido fechado e guardado naquela estante velha, empoeirada de histórias passadas... Estaríamos escrevendo o nosso fim. O fim que revela o começo.
Portanto, vamos seguir em frente, vamos decretar o fim. O fim de tanta insegurança, incertezas. O futuro de aprendizado e confiança. Um futuro que nem as histórias mais loucas conseguiriam entender. Um livro sem pé nem cabeça. A oportunidade de largarmos nossos gibis coloridos, e declarar de vez que vivemos um mangá. Tudo sem sentido. Onde começou arduamente, de trás pra frente, mas que vai se encaixar num fim, que mais uma vez repito: revela o começo.
Vamos seguir em frente, vamos recomeçar. Olhe para a lua, está cheia. Olhe para nós, estamos cansados.

Matheus Araujo Dias

quinta-feira, 21 de março de 2013

É a vida!

Nem tudo vai ser natural a ponto de fazer sentido. E, na maioria das vezes, tudo aquilo que faz sentido é estranho aos nossos olhos. Foge na naturalidade. Foge do controle... E não importa quem você é e o estilo de vida que você carrega, todos nós vamos viver errando sempre no mesmo ponto: procurar ligar os pontos; entender o porquê de tudo; tentar tornar natural aquilo que o ser humano desnaturalizou;
No fim das contas, amigo, é tudo uma grande correria contra o vento. O que te importava ontem, amanhã já não tem mais graça. E hoje, é tudo uma questão de mudanças; É o ciclo que liga o ontem e o amanhã;
Hoje, pode ser 365 dias, ou mais. Para os mais decididos, hoje pode representar simplesmente hoje; É a pausa entre o que você quer e o que você vai fazer. É a oportunidade de jogar a sua única oportunidade no lixo. E, cansadamente, todos os dias vão ser sempre assim...
O fato é que ou você vive preso em algo por interesse próprio, ou você vai estar preso por interesse de terceiros. Sempre vai ser movido por interesses. Bons ou ruins, nunca vamos saber ao certo. Por isso que sempre vai existir a busca pela resposta, pelo que pode se tornar natural aos nossos olhos. Nós vamos sempre viver buscando naturalizar os interesses das pessoas e os nossos próprios interesses. Isso não é um processo interessante, mas é válido, em partes.

Se você parar pra pensar, a razão se esconde no meio de todo esse processo da vida. Não existe razão nenhuma em você buscar entender o porquê de seus sentimentos e os acontecimentos que ocorrem. Não existe razão certa porque depois de tanto correr atrás de respostas, você sempre vai criar novas perguntas. Sempre vai ter algo novo pra sentir, outros interesses envolvidos. E aí, tudo muda, mas ao mesmo tempo tudo se repete.
Ora, a vida é complicada sim. É um processo desgastante? Sim... mas não tem como fugir. Ou você corre contra o vento ou você se perde no meio de seus próprios interesses. E quando você se perde, não é apenas seu auto-controle que vai sumindo... são milhares de dedos apontando pra você, criticando todo seu estilo de vida. Mas, quanto a estes, é tudo farinha do mesmo saco. Sabe aquela história do sujo falando do mal lavado? Então... os dois estão errados!
Matheus Araujo Dias

segunda-feira, 18 de março de 2013

A história inacabada.

Ainda que eu quisesse me redimir, não haveria como. Não haveria porquê. A decisão de errar com você foi totalmente sua. Eu apenas caminhei conforme o jogo que você maquinava. Este foi meu maior erro. Dispenso as consequências e entendo que errei apenas em querer fazer tudo conforme você planejou. Eu não escolhi nada disso, você previa acontecer assim. Por favor, não me venha com joguinho barato de que a culpa é totalmente minha. Na verdade, ela até pode não ser de ninguém. Cada um tem o direito de fazer suas escolhas. Então, meu caro, você só escolheu se esconder atrás de mim. Joguinho sujo, mas é teu jogo.
E o que dizer sobre todo carinho? O que dizer sobre aquelas mensagens que me fazia sorrir sozinho? Não, por favor, não me faça acreditar que isso fez parte do teu jogo. Eu quero acreditar, apenas, que tudo isso não passou de um escape quando você percebeu que não daria certo. Mas, para sua surpresa, deu certo. E muito certo. Se deixou marcas, lembranças, súplicas para não perder o encantamento é porque deu certo. Mas... era pra dar certo?
Seria bom se todas as histórias acabassem no ponto final que colocamos. Porém, mesmo que fossem reticências, eu não ligaria se viessem logo depois de um "e tudo voltou a ser como era antes". Não ligaria se ficasse inacabado. Não ligaria mesmo, desde que os sentimentos não se envolvessem; A vontade de querer que tudo fosse verdade não gritasse; O desejo de que você estivesse aqui, abraçado comigo não fosse tão presente todos os dias; Eu não ligaria se tudo isso fosse verdade, assim como não ligo em dizer mentiras.
Então, se você é bem esperto vai entender que são mentiras saudáveis. Mentiras que dizem que posso viver muito bem longe de você, e mentiras que sussurram, bem no canto do seu ouvido que o seu esforço basta. Mentiras que não deixam evidentes de que sou grato pelo seu cuidado "pós - decepção", mas que seria melhor se trocasse todo seu esforço por fazer aquilo que já era pra ter acontecido a tempos... Mas, vamos mentir: Foi muito bom tudo que passamos, vou seguir sem marcas... A vida é assim mesmo.
Se pararmos pra pensar esperto mesmo é aquele que diz a verdade, mentindo. Que chora incontrolavelmente, sorrindo. Que diz que vai embora, ficando. Aquele que não demora, mas vai caminhando... quase parando, quase passando despercebido. E quando passa, deixa apenas a seguinte mensagem: "A verdade não está relacionado a quem diz mais alto. A mentira, não passa de suas próprias concepções. Quer convencer a si mesmo de que está sendo sincero com teus sentimentos? Convença a si mesmo de que você pode agir, sem dizer nada, sem impor nada. O que você faz, caro amigo, vai dizer muito mais alto do que as palavras que você faz questão de gritar."
A história não acabou, mas parou. A música ainda está tocando, mas agora é envolvida por outro encantamento, outra verdade, outra mentira. A nossa, já se tornou velha. O desespero em dizer que está desesperado já se tornou cansativo. Pegue seu violão e leve todas as lembranças. Faça o que quiser com elas. Já cansei de mentir dizendo a verdade.

Matheus Araujo Dias

quinta-feira, 14 de março de 2013

Cuidar de mim!

Eu não mudei, por enquanto. Costumo ter muitos medos... Com certeza um deles é de mudar pra pior. Mas, acho que as coisas se alteraram tanto que o que parecia ruim já não me afeta mais. É quase o mesmo que pensar em "vou cuidar apenas de mim, não importa quantos eu vou ter que deixar para isso se realizar". É o mesmo de ser ruim para os outros mas ser extremamente bom para si mesmo. Eu preciso cuidar de mim! Já cansei de tentar não deixar marcas em alguém e reverter pra mim todas as cicatrizes. Eu cansei de tomar cuidado com as palavras e sentir algum tempo depois que eu não disse tudo... que algo ficou incompleto. É egoismo demais pensar em mim a fim de buscar a felicidade?
Não importa como você generaliza. Ainda não quero saber o que você pensa sobre. Milhões de pessoas vão apontar o dedo independente de como eu vou ser ou o que vou escolher. E se parar pra pensar, o ato dessas pessoas apontarem o dedo não significam necessariamente que querem me ajudar... isso implica em elas pensarem nelas mesmas, nas suas próprias opiniões, em que acham certo ou errados... Então, novamente eu me vejo no mesmo lugar, pensando da mesma forma: Eu preciso pensar mais em mim, não importa quantos dedos vou ter que ignorar.
O fato é que eu cansei de acharem que tudo que eu digo é superficial... De insistir em dizer que tudo que eu sinto é algo criado. As pessoas se esquecem que acima de tudo, de qualquer opinião, escolha, razão, eu sou HUMANO! Eu também sinto, eu também sofro, eu também tenho insônias pensando em como certas pessoas estão. Eu (também?) me preocupo. Agora, o modo em que vocês se portam referente a isso me faz criar uma série de perguntas em minha cabeça. Algumas delas mais complicadas... Eu juro que eu não entendo se o problema está em eu sentir demais ou está em vocês não darem conta de tanto sentimento. Eu não sei se vocês vão sentir falta de mim quando eu jogar tudo para o alto. Talvez eu mesmo é quem vou passar noites relembrando de quando eu era assim. Mas não dá mais. Não dá mais pra sentir por mim e por você. Não dá mais pra tentar te proteger lhe oferecendo meu próprio escudo. Eu preciso cuidar de mim. Nem que para isso eu tenha que adotar os procedimentos antigos. Aqueles bem bobinhos de tirar você de todas minhas listas esperando anciosamente que saia do meu coração.
A partir daqui, caros amigos, frieza e indiferença vão ser apenas desculpas. Desculpas que eu não vou pedir caso deixar algumas marcas no caminho. Desculpas que eu vou dar, pra não dizer o tanto que eu sinto. Posso estar errando, mas vocês me forçam a agir assim quando eu ofereço tanto carinho em troca de tanta indiferença.

Matheus Araujo Dias

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Consumismo (vídeo)

Vamos refletir um pouco sobre Consumismo?
Veja o vídeo que eu fiz juntamente com meu amigo Jorge onde abordamos este tema.


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Surpresas previsíveis

Parece que especialmente hoje o barulho tomou uma dimensão enorme. Eu fiquei assustado, ali, observando a simetria que existia nas casas que iam ficando para trás. Só observando mesmo, não conseguia processar a conversa do casal que estava sentado atrás de mim e nem tomar iniciativa de falar com a minha companhia. Parei de observar, comecei a pensar em você. A princípio me pareceu que automaticamente tudo ficou num grande silêncio. Eu sentia como se todos quisessem que eu compartilhasse as conclusões que eu acabara de ter. Confesso que por um momento me perguntei se não estava dizendo num tom acima do normal. E adivinhe? Cheguei a conclusão exaustiva de que você vive de surpresas previsíveis. Você é uma surpresa previsível!
Eu posso ter uma série de dúvidas referente a você. Mas, sei que você sempre vai agir da mesma forma. Sei que vai levar em todas suas respostas você e as milhares de pessoas que você esconde dentro de seus conceitos. Eu sei que eu não tenho um poder, nem de persuasão, de fazer você escolher algumas coisas ou mudar outras. Eu sei que você sempre vai ser assim, e talvez isso é que faça de você uma pessoa excepcional. Mas, faz de você também ser uma surpresa previsível. É previsível como você vai reagir, mas é sempre uma surpresa pra mim ver que você não mudou nada. Acho que sempre vou me surpreender por você bater na mesma tecla. Sempre vou me surpreender por você estar sempre certa. Assim como sempre vou me arrepender por sentir que preciso de cura.
Eu queria que fosse mais fácil. Quem não quer? (Você!) Eu queria mesmo que a solução pra algumas coisas fossem tão simples como algo materializado. Ainda que sempre vai existir a condição de conquistar, eu queria ter a sensação de que tenho a cura em minhas mãos. A cura para mim mesmo. A cura para o que eu estou sentindo. A cura ao meu cérebro por pensar tanto em você. Acho que você já o danificou por não saber que ele não recebe tantas informações. Ou é simplesmente meu coração não suportando tantas alterações. Digo de dimensão, não da sua forma. Talvez ele só esteja assim porque precisa mesmo da cura. Preciso de um pouco mais de insanidade pra ter um pouco menos de humanidade. Por você? Não! Por mim mesmo. Pra desmentir a verdade. A estranha verdade que me lembra todos os dias de que não vou encontrar a cura, mas vou viver de soluções. Mas isso você não precisa saber. Você já sabe muito mais do que eu desejava. Pena que não diz mais do que você esperava.
Enquanto eu penso mais em mim, procuro solução, ou a cura se assim preferir, me surpreenda com a sua veracidade de não viver com a realidade. Talvez a gente se encontre um pouco mais adiante, e eu me surpreenda com algo novo, da mesma forma que eu me surpreendo com a sua mesma maneira de agir. Sei também que nada do que eu disser vai trazer conforto mas permita-me declarar que você está no caminho certo, uma vez que não existe o errado. Só existe apenas o que lhe é lícito e aquilo que lhe convém.

Matheus Araujo Dias

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Feliz Aniversário!

(Se você não se chama Letícia Florêncio pode escolher não ler.)
Bom, o aniversário já passou mas escrevo hoje porque ela sabe que a amarei todos os dias da minha vida. Se não nos casarmos ou estivermos qualquer tipo de relacionamento perto, com certeza iremos nos receber com muito carinho para uma xícara de café. Tá, podemos pular o café... poderá ser coca-cola. Mesmo velhos. Ou quem sabe apenas comeremos um pão de queijo como no
tempo do colégio... Que seja.
Saiba que o meu desejo é me lembrar de você sempre da mesma forma. Claro que isso não é uma promessa de "felizes para sempre" ou "sempre a amarei", mas com todo o meu ser eu posso te dizer que tenho um imenso desejo de lembrar de você com o mesmo apreço dos primeiros dias, para todo sempre... Porque você não apenas fez parte da minha vida, mas literalmente, com todas as letras, você mudou a minha vida. VOCÊ ME MUDOU!! Você quem passava raiva comigo, sorria comigo, tomava todos meus problemas nas suas costas e sempre dizia: "Nossa, que sacanagem com você!"; "Velho, isso tá muito errado"; "Calma, você só precisa pensar um pouco mais em você";... E me permita dizer, amor, a vontade imensa de ter você pra sempre ao meu lado é por justamente pensar em mim! O quanto você me faz bem! Mas, mesmo que nada aconteça do jeito que eu espero, saiba que nunca vai existir razão alguma pra desconfigurar a imagem linda que guardei de você. A imagem que você chegava e só de me ver sorria. E não tinha jeito, eu sorria todas as vezes junto com você. E vou continuar sorrindo, mesmo que por dentro, todas as vezes que eu me lembrar... As velhas lembranças... que na verdade nunca se tornarão velhas.
Poxa, olha só, quase que esqueço das coisas tradicionais que dizem de aniversário, mas que seja assim... Parabéns, bebê, que você continue conquistando o mundo, criando seu mundo e entrando com todo cuidado no mundo dos outros. Como você sempre fez... tomando cada cuidado, sem querer machucar, sem querer dizer mais alto. Você nunca viu necessidade nisso, mesmo que você perdesse a razão. Como você é incrível! A mina que eu enchia o saco. A menina que cantava comigo toda manhã. A única que comeu pizza no café da manhã comigo. A que com certeza fez um pouquinho mal pro meu intestino com a junção do brigadeiro com doritos, mas, a que com mais certeza ainda fez um bem danado ao meu coração... se é que você entende o que quis dizer.
De-zoi-to anos ! Agora o mundão decidi te dar um pouco mais de liberdade, mas como eu te disse, não é a idade que conta, levando em consideração a mente aberta que você tem. E eu sei que se o tempo parasse nos seus dezessete anos você faria as mesmas conquista que "adulta". Porque nós sabemos, que você tem uma capacidade incrível, mesmo fazendo aquela burrada no último mês do seu curso. É, não tem jeito, eu vou te perseguir com isso até eu me cansar! E ainda vai ter que esconder algumas coisas básicas de mim pra não tomar puxão de orelha. Mas tomara, que ainda seja madura o suficiente para me aguentar com as palavras duras.
EU TE AMO, com todas as letras, e sei que vou dizer isso sempre pra me redimir, e s
empre vai ser verdadeiro e sempre vai ser recíproco. Parabéns vida! Estarei aqui sempre que precisar e me intrometerei quando não precisar. Beijos, te amo, de novo!
Matheus Araujo Dias

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Minha primeira vez

Antes de mais nada preciso dizer que minha vida é um livro entreaberto. As páginas que não fazem sentido eu faço fogueira. Previsível, como qualquer um. Nada de tão interessante, como qualquer outro. Ou talvez, a única coisa que me faça ser interessante, é não ser interessante. E eu nunca fui...
Durante toda minha vida eu sempre me pegava pensando nos momentos que fossem "minha primeira vez". A minha primeira noite maldormida chega até a ser engraçada. Ver a minha reação por perder tanto tempo fazendo nada era incômodo, porém um incômodo bem vindo; Lembro da minha primeira vez que dormi fora de casa. Eu tremia tanto que meus pais pareciam ser extremamente gigantes que me protegiam, mas eu não tinha-os ali; Lembro do meu primeiro amor, claro, imaginário; Lembro da primeira vez que fui à praia, pra não querer voltar nunca mais; Lembro também do meu primeiro emprego, da felicidade do primeiro salário... é, como eu disse não sou tão interessante assim.
Mas, eu cresci, e ontem foi a primeira vez que coloquei um smoking sem reclamar. Talvez a gravata poderia ter sido de outra cor (ou não deveria existir gravata borboleta), claro que eu fiquei em dúvida, sempre fui assim. Ontem foi a primeira vez que a vi naquele vestido, depois de tanto imaginar. Ontem, eu disse "sim" em público, depois de viver minha vida inteira negando. Eu preparei um discurso (bem típico eu fazer isso não é mesmo?). Não consegui dizer, só chorava. De alegria, claro. Quem diria eu estar naquele altar com aquela menina meiga que fiz faculdade. Ninguém achou que ia dar certo. Mas deu, e espero que continue assim. Eu sonhei com isso.
Hoje, vai ser minha primeira vez. Nem sei porque estou escrevendo nessa madrugada. Acho que ela vai ter que me aguentar pro resto da vida. Não sei se é pra rir ou pra chorar. Mas se for pra chorar, que continue sendo de alegria... Alegrias, tristezas, enfim, todo dia é dia de ter uma primeira vez. Mas claro, amanhã pertence tão somente ao amanhã. Um sonho é simplesmente um sonho. Mas, realizar nunca foi simplesmente realizar!


Segunda, 23 de novembro de 2020
Matheus Araujo Dias

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Pequeno órfão.

Dedicado ao: Meu amigo, pequeno órfão.
Hoje eu quero tomar muito cuidado com cada palavra. Escrever sobre você é uma tarefa extremamente difícil e desconfortável. Talvez eu não obtenha grandes resultados mas eu quero me privar de falar somente aquilo que eu sei. Ou acho que sei.
Você sempre guardou um pouco de você nas mangas. Sempre tinha algo novo a oferecer, e me arrisco a dizer: não sei se eu seria assim depois de tudo que você passou. Me desculpe o pesar da palavra, pequeno órfão, mas eu tenho que citar os fatos pra dizer a grandeza que você é. Você, meu amigo, é excepcional! Digo isso porque sei como é perder alguém que ama. Ainda mais perder uma referência de pai. Entendo que desde aquele momento que ele se foi, mesmo você sendo pequeno, sofre com isso até hoje. Ele não foi só, você morreu juntamente com ele. Sua mãe ficou de luto por ele. Me perdoe, na minha limitação dizer, que mesmo não sendo tão íntimo, eu fiquei de luto por vocês. Mas, ver você crescer é algo tão bom! Ver o quanto és maravilhoso é algo extremamente melhor. Você perdeu a figura paterna mas ganhou uma forma de ficar de pé que chega a fazer as minhas pernas bambas. Não estou me referindo aquele papo sobre ser o homem da casa. Não é nada disso. Você se tornou o homem da sua própria vida!
Eu imagino o quanto sua mãe fica feliz com cada conquista sua. Eu admiro cada degrau que você sobe, pequeno órfão. Sei que ele está vendo. Sei que de algum lugar, ele está vendo, sabemos disso. Você me ensina até mesmo calado, amigo. Mas quando abre a boca me deixa realmente constrangido com tanta coisa boa que tem pra dizer. Com tanta palavras de estímulo! Me desculpe por não ser tão presente. Me desculpe também por tocar neste assunto. Mas, quero mesmo dizer o quanto és especial, lá no meu íntimo. Posso não saber até onde tudo isso influenciou você, mas posso garantir que agarrar com unhas e dentes as oportunidades da vida como você bem faz enche meu peito de alegria. Ver a satisfação nas palavras de tua mãe, puxando sua orelha daqui, te exaltando de lá, me traz a consciência de que as coisas podem melhorar.
Meu amigo, pequeno órfão, obrigado por todos os momentos juntos. Obrigado por sempre ser coerente e convicto de suas opiniões. Obrigado por sempre ser o mesmo. Obrigado pelas manhãs que sempre se estendiam nas orações à tarde. Obrigado, pequeno grande órfão! Nunca, jamais se esqueça que você tem um super-pai, lá em cima, onde com certeza sorri e diz: "Este é meu filho!"

Matheus Araujo Dias

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Na contramão

Eu nunca vi justiça, nunca vi os resultados. Sempre acreditei que tudo seria diferente, por mais que eu nunca fizesse do modo pelo qual diziam ser o certo. Mas eu fiz, e não vi nada mudar. Talvez nada mudou porque eu só fiz por você, não foi por mim. Se fosse por mim, eu pelo menos teria lembranças boas. Se fosse por mim, eu pelo menos daria sentido aquela madrugada. Se fosse por mim, eu viveria cada mensagem. Mas, nunca foi por mim. Nunca foi pensando em mim. E por esse motivo eu te amo desde a primeira vez e quero te esquecer desde a segunda. É a ordem natural das coisas quando elas não dão certo. E isso não tem ligação nenhuma com a "linha tênue" entre o amor e ódio. Eu nunca me permiti nem por um momento pensar de forma distorcida sobre você. Mas um ponto pra você... Novamente não pensando em mim! Eu só não entendo o porquê mesmo depois de tudo isso você quer tirar minha única forma de pensar em mim, minha única forma de me expressar. Se dizer aqui te incomoda, me perdoe meu amor, faz o que você sempre fez com perfeição: finge que não sabe; ignora e sorri como se eu fosse só mais uma pessoa.
Perdoe leitores, estou sempre falando de mim, sempre dizendo pra alguém. Mas agora, permita-me dar um recado. Posso até não ser a melhor pessoa para dizer de amor. Posso até não ter conseguido os melhores resultados. Eu até posso, ser uma péssima referência, mas, eu nunca deixei de amar (trágico). Eu sempre insisti em perdoar e posso dizer? Não colhi frutos nenhum, ou sempre colhi poucos frutos, mas isso me ensinou a me portar bem diante das diversas dificuldades. Eu aprendi a lidar comigo mesmo e acredite isso é muito bom (pelo menos o gilete nunca foi um amigo meu, se é que me entende). Então, ame! Abra mão do que se deve abrir. Confie em você mesmo a fim de que você diminua. Sim, a fim de que você diminua! Chega de achar que só existe você. Chega de alimentar um rei dentro de si mesmo. O que te faz crescer é diminuir cada vez mais. Quanto antes você entender isso melhor. Dê passos certos com os olhos vendados. Tenho certeza que você vai se torturar menos com o que der errado! Ainda não entendeu? Andar na contramão não significa que você vai ter problemas. Seguir a mesma direção que o outro segue é tentar colher resultados que o outro obteve. Mas, sinto em lhe dizer, você não vai conseguir.
Eu disse que nunca obtive resultados, na visão do mundo, mas nunca disse que nunca obtive resultados pra mim mesmo. Tenho muito o que aprender e estou vivendo pra isso.
Não estou pedindo pra você acreditar em mim, acredite que você pode fazer mais pensando menos! No fim das contas você vai entender que pensar nos outros nada mais é do que pensar em você.

Matheus Araujo Dias

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Faz de conta...

 Vivi num "faz de conta" durante muito tempo. Acreditei em amores que não existia dor. Acreditei que os personagens das histórias (que eu lia, mas nunca ouvi contar) eram realmente felizes para sempre. Acreditei que ser "gente grande" iria me trazer a tão esperada liberdade. Cresci, e fiz de conta que ainda acreditava. Vivi, e comecei a entender que fazer de conta que tudo está bem, baseado naquilo que eu desejava era frustrante. Fugir da realidade é frustrante, mas, viver a realidade é pior ainda.
Então, permita-se! Permita-se o engano. Permita-se viver. Permita-se fazer de conta. Talvez eu só pense assim por que eu quero muito você de volta. Quero fazer de conta que não vivi a realidade. Quero fazer de conta que tudo isso não passou. Quero fazer de conta que não brigamos, fazer de conta que dormimos e tudo não passou apenas de um terrível pesadelo. Na verdade, eu só quero fazer de conta por que eu sei, que o nosso amor nunca foi um faz de conta. Digo por mim, sinto por você.
Se não fosse amor acho que não seria assim. Dizem por ai que quando tem amor, não tem dor. Mas, se é amor, é por que sente. É por que se importa. É por que cuida, por que sente ciúmes, por que quer mais perto. Então vamos fazer de conta que não existe opiniões, não existe um mundo cheio de contradições, e não existe ninguém querendo impor nada, a não ser nós querendo impor o que sentimos.
Vamos viver com o pé no chão? Claro, mas isso não significa que vamos dar os mesmos passos que todo mundo. Vamos conhecer a realidade? Sim, mas vamos tentar fugir dela enquanto pudermos. Se isso é viver arriscado? Talvez, mas arriscado mesmo é deixarmos nos esfriar de novo negando tanto amor. Não existe o jeito certo, existe o nosso jeito. Talvez isso também seja amadurecer.

De uma mente que fantasia, de um faz de conta eterno...
Matheus Araujo Dias

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Agora é minha vez!

Dedicado a: quem me fez abrir os olhos.
Agora é minha vez de dizer, de me expor, de tentar me redimir. Agora é minha vez de dizer que nunca tivemos vez, mas que de fato eu nunca tentei entender onde estava o erro.
Nada nesse mundo é perca de tempo, eu tento encarar as coisas assim. Eu posso não entender agora, mas eu sei que alguma coisa boa disso eu vou tirar. Talvez amadureci mais um pouco. Ou não. Inclusive, meu bebê me perdoe por confundir "frieza" com "amadurecimento". Acho que de todas as coisas a frieza e a ironia sempre foram um problema muito grande, nas duas vias. A teimosia e a razão, claro, nunca facilitou. Mas as palavras carinhosas e a compreensão, digo por mim, me fazia ser um completo bobo.
Agora é minha vez de dizer daquilo que eu não queria sentir. Mas que descobri que era o que me fez bem. Algo que me surpreendeu. Me perdoe, por tentar esquecer outro alguém ao seu lado. Não sei mesmo se isso é um erro, acho que erro maior não seria me permitir viver, não é mesmo? E inclusive, meu bebê, obrigado por me fazer entender que as coisas podem mesmo ser melhores. Que eu podia mesmo voltar a viver, voltar a sorrir com uma sms, voltar a sentir meu coração batendo tão forte só de te ver. Eu sei, é muito ridículo, é demais pra dizer, mas de todas as vezes que eu estava ao seu lado, que eu sentia você eu juro, juro mesmo que não me lembro das coisas que eu cheguei a dizer. Isso se eu cheguei a dizer algo a você. A verdade deve ser que talvez, eu tremi tanto quanto você. Eu voltei a imaginar que existia uma forma, uma solução. Eu comecei a acreditar em mim mesmo, porém, ainda sim falhei com você. Como amigo, como amigo dos seus amigos. Eu falhei com você depois de tudo que você era pra mim. Eu só não queria, juro, que você se moldasse por mim, da forma como eu imaginava. Eu queria você, eu queria descobrir você. Nada idealizado, tudo no controle, sem nada desandar. Eu queria você depois de me encontrar.
Talvez nós nunca vamos entender, mas tudo que é sincero não é natural fazer sentido. É doar-se, é abrir mão, é amar.

Matheus Araujo Dias

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Outubro de 2006

Mas se porventura não amas.

Faça morada em mim,
Eu quero sentir teu amor,
Experimentar seus prazeres,
Poder aliviar minha dor.

Faça o que quiser de mim,
Eu quero ser teu a todo instante,
Te surpreender cada dia,
Fazer tudo que estiver ao meu alcance.

Faça alguma coisa por mim,
Eu quero notar sua vontade,
Perceber o quanto me ama,
Descobrir essa verdade.


Mas se porventura não amas,
Não me faça doar minha vida,
Não me iluda com suas promessas,
Não me deixe aqui sem saída.

Já cansei desse vai-e-vem,
Não saber o que queres de mim,
Se for só interesse próprio,
Te suplico: não faz assim!

Meu poema da 6ª série, Outubro de 2006,
Matheus Araujo Dias

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Perdoe a minha ousadia

Dedicado a quem: sugiro que não leia.

Perdoe a minha ousadia, vou falar de algo que eu nunca quis,
Do amor que eu não vivi, dos abraços que eu já guardei.
Da vontade que me firmou, dos conselhos que eu segui,
Do teu cheiro que me atraiu, de estar nos braços de quem amei.



Perdoe a minha ousadia, vou falar de algo que eu nunca quis,
De uma fase bem mal vivida, dos beijos que eu não te dei,
Das lembranças que me perseguiram, dos ponteiros que rodeavam,
Do telefone vibrando, do caminho que andei.


Perdoe a minha ousadia, vou falar de algo que eu nunca quis,
Da vontade de proceder, da coisas que eu pensei,
Das dúvidas que existiam, do medo que dominava,
Do brilho que eu me encantei, das palavras que eu não falei.

Perdoe a minha ousadia, mas tento falar de mim,
Mas nada é como eu quero, resultado do que neguei,
Você não sabe quantas vezes eu tentei mudar o rumo,
Mas é a mesma história sempre, desde quando eu te encontrei.

Perdoe a minha ousadia, de chamar "isso" de história,
São tentativas falhas, pensamentos que criei,
Mas que agora eu não fujo mais, desse fantasma que me persegue,
E me pergunto todo dia: Será mesmo que só eu amei?

Matheus Araujo Dias

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Incompleto

A clareza nunca foi algo tão atrativo: Resultado de palavras incompletas.
É claro que fazer sentido nunca foi uma opção pra você, desde que você viva aquilo que você espera. Desde que você brinque com as cabeças da forma como você quer. Mas, mesmo que faça tudo aquilo que deseja no fundo você vai sempre não querer transparecer aquilo que você é. Talvez este seja o perigo: o medo de descobrirem que você não é aquilo que você prega. Ou pior, descobrirem que realmente você é essa meia descrição.
É como aquele gole de café que você gosta, aquela rua que você observa, aquele amigo que você admira, aquela flor que você apanha. Eles sempre vão dizer algo que vai muito mais além do que as pessoas vêem. Verdades que vai muito mais além das que eu possa compreender. Isto é que ser incompleto! Amar é sentir-se incompleto, enquanto não é correspondido.
Permita-me, senhor, tirar-lhe dos meus ombros, colocar-te cuidadosamente no chão e correr atrás do meu amor. Só quero olhar em teus olhos e fazê-la apagar tudo aquilo que escreveu. Em mente, no papel e na folha em branca que não pôde terminar por sentir os dedos travarem. Isto é que ser incompleto!
Agora me diga: Será que devo fazer ou vou sempre viver meia realidade? Senhor eu não te entendo e nem posso te deixar no chão, a chuva está caindo e seria grosseiro de minha parte fazer graça de sua morte enquanto eu já morri inúmeras vezes. Coloco-o em meus ombros de novo e continuo a viver a vida incompleta que tenho. Quero cuidar de você, porque isso é o que ainda me resta. Já esqueci de mim, faz um tempo, e parece que é isto que me faz ser incompleto.
Perdoe a minha clareza, eu ainda não sou jovem, tenho muito o que aprender.

Matheus Araujo Dias

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Se eu pudesse não escreveria

Tudo que eu tenho são as mesmas coisas. Na verdade, tudo que me sobrou. É como se tudo que eu tinha conquistado se perdeu com o tempo... É como se eu tivesse voltado pra largada, mas não quisesse mais correr. É como se eu tivesse perdido todas as minhas referências. E o mais doloroso, é como se eu tivesse perdendo a minha fé. Eu não acredito mais naquilo que eu me apegava. Não acredito também que o amor humano é a esperança. Pelo menos por hoje.
O fato é que eu não aguento mais esperar a promessa. Não vejo resultados nenhum, não vivo coisas maravilhosas, e se quer saber, não saio do quarto. Desesperador não? Mas, não importa pra onde eu for a guerra que existe dentro de mim sempre vai permanecer, então... eu não sei o que fazer. Nada me agrada mais. Eu tenho medo das pessoas. Tenho medo das reações. Eu tenho medo do que eu vou ser daqui pra frente carregado de decepções. E eu sei que escrever aqui não vai adiantar em nada, mudar nada, nem os olhos nos olhos estão surtindo os efeitos que eram pra existir. Eu não sei mais o que é o bastante. Eu estou gritando dentro de mim por paz. E não me venha com suas concepções daquilo que você ouviu falar ou diz experimentar. Tem tanta gente afogada no engano. Talvez eu seja uma delas, claro. Esse é um dos motivos pra eu não acreditar mais em nada.Eu estou cansado do modo que lidam com as coisas. Principalmente quando lidam do modo errado com pessoas.
Se me permite dizer, com todo o peso que tem dentro de mim, foda-se a questão do tempo. Minha vida não está andando e olhar o relógio passar está cada vez mais agoniante! Eu já joguei tudo pro alto faz tempo.
Eu preciso é de ajuda, não de julgamentos.

Matheus Araujo Dias

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Vamos falar de mim?

Estou aqui pra falar de mim, de novo. Isso já está se tornando preocupante. Geralmente eu falo das coisas que acontecem comigo, mas de alguma forma eu quero dizer a alguém. Mas agora, eu tenho o desejo de apenas dizer a mim mesmo aquilo que eu sempre quis ouvir: Eu tenho algumas qualidades. Não sou tão horrível assim!
Não, eu não precisei de nenhum livrinho de auto-ajuda pra chegar neste ponto. Não precisei que ninguém dissesse no cantinho do meu ouvido que eu sou alguém especial. E nem estou colocando em prática a liçãozinha de "amar a si mesmo". Não é isso. Talvez é que eu precise tanto de mim, mas tanto, que por um certo momento passei a pensar por mim mesmo. Essa é a minha importância. Posso não ser especial a você, mais eu sou importante pra mim. Eu preciso me centralizar pra tomar decisões certas. A questão não é o que você acha, e sim do quanto eu preciso de mim.
Mas, vamos falar do que você acha. Ou, se preferir, vamos falar da visão que eu tinha com você. Eu nunca me senti completo, é bem verdade. Isso é uma questão minha, mas confesso que dificultava bastante a idéia de você por alguns momentos achar que eu sou um monstro. Não conseguia me adaptar com isso, embora em alguns assuntos você tinha razão. Ser frio é ser um monstro. É negar amar. É egocentrismo; Você fazia questão em dizer aonde eu errava, e mais, nos últimos dias fez questão de ir martelando cada vez mais no meu ponto fraco. Sim, os meus erros fazem parte do meu ponto fraco. E acredite ou não, só fazem parte porque tenho consciência deles; Você chegou a citar que eu me visto mal. Azar, eu também concordo. Talvez você se sentiria melhor tirando minhas roupas com as suas próprias mãos. De certa forma, não é uma má idéia. E chegamos aqui, esta é a questão. Quer saber uma qualidade minha? Poder gostar de você mesmo você me mostrando tantas verdades sobre mim! Sim, verdades incompletas, mas que não deixam de ser reais! Eu me sinto bem por amar alguém que insiste em dizer onde estou errando. Isso é muito mais do que razão, eu sei que sai do contexto. Eu me sinto bem porque isso me faz gostar mais de mim mesmo. Isso é o que me faz não me torturar pelo "monstro" que eu sou. Isso é o que me faz ser alguém melhor. Amar você me faz melhor.
Eu posso ser um poço de defeitos, mas ainda tenho alguma coisa que me faça brilhar. Um diamante fajuto, eu sei, mas que busca por polimento.

Matheus Araujo Dias

domingo, 27 de janeiro de 2013

Um livro novo

Ontem foi uma tentativa de se isolar, se afastar, esquecer. Hoje, é uma tentativa de se vincular, se achegar, tornar-se presente.
De fato algumas coisas nós não vamos entender.
Estava tudo combinado. Tinha diversas formas de restituição. Eu me queria de volta. Eu fui me buscar de volta. Era o plano perfeito. Não... era o meu lado esquerdo do cérebro tentando impor algo. E parecia tudo muito bem até o momento que eu larguei aquele livro de encantamentos, de ilusão, tudo que aparentemente eu precisava para o meu processo de isolamento, e comecei a me alimentar de uma nova idéia. Um novo livro. Um livro que julguei pela capa. Um livro que não estava nem aí pra ler... mas li. E posso dizer que um capítulo foi o bastante pra eu mudar todo o contexto. Talvez eu não vou conseguir resgatar aquilo que eu fui por tudo o que eu já fiz, mas aquelas páginas me mostraram que eu preciso me vender. Eu preciso começar a encontrar algo bom em mim. Eu preciso conquistar o "sim". Mas, primeiro eu devia dizer sim a mim mesmo. Primeiro eu devia entender que eu não tenho que me isolar, tentar esquecer. Eu tenho que me integrar, me vender, me valorizar, buscar, e ao invés de eliminar tudo aquilo que eu queria, deveria dar lugar a outras lembranças ou fazer a situação embaraçosa valer a pena.
Eu queria fugir de quem? De quê?
Descobri que não tenho escolhas, meu lado direito do cérebro sempre vai dizer mais alto. Até mais que aquele livro.
Azar, eu estava lendo-o ou ele entregava uma descrição perfeita do seu leitor? Eu decidi fechá-lo ou ele que disse pra mim "chega, por enquanto". Essa é a arte da persuasão!
Eu não preciso me encontrar fazendo reviravoltas. Eu posso me moldar seguindo a mesma direção. Andei tanto tempo fora pra entender que grande parte da minha busca foi em vão. Eu achei o caminho. Eu voltei pra casa. Não encontrei nada por lá, a não ser a esperança de me encontrar quando voltasse. E voltei, e cheguei, e vou conquistar, vou me amar, vou me integrar.
Não encontrei motivos em lugar nenhum pra voltar. Eu voltei por mim mesmo.

Matheus Araujo Dias

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Mergulhe!

Mergulhe: esta é a ordem! Mas há algum perigo quando alguém mergulha. Há um perigo quando alguém se doa mais, se entrega mais, vai mais fundo. Há um perigo quando alguém aumenta sua intensidade. Esse perigo é que quanto mais fundo, quanto mais se entregar, você só tem uma escolha certa: continuar. Isso porque quanto mais fundo você estiver, menos tempo terá pra sobreviver. Se voltar atrás, será um caminho mais longo para tomar ar novamente. Para retomar...
Posso explicar melhor. Imagine-se num grande mar... No fundo, muitos peixes, corais, estrelas do mar, uma paisagem realmente incrível. Você só consegue alcançar e viver a experiência de ver tudo isso se você se aprofundar. Mas cuidado, mantenha o ar, mantenha o equilíbrio, porque se houver dificuldades, o caminho pra voltar torna-se o desespero. Você se afundou cada vez mais. E é assim conosco! Você pode estar vivendo uma vida com um desejo enorme de se entregar mais, só para ter algo. Isso envolve foco. Você tem foco em algo, deseja algo. Mas não esqueça que foco, gera também cegueira. Você não enxerga mais nada, não mede as consequências e vai cada vez mais se aprofundando naquilo que você acredita ser o certo. Mas cuidado! Quando perceber que talvez não é, vai estar tão afogado em si mesmo que o caminho de volta vai ser tortuoso!
E qual a ordem agora? Ora, mergulhe! Mesmo assim mergulhe. Nós, seres humanos somos tão imbecis que se não mergulharmos, vamos nos perguntar pro resto da vida se seria diferente. Então, mergulhe, aprofunde-se, se afogue, mas viva! Se você sobreviver ao que chamam de "vida" irá amadurecer e terá chances para se afogar de novo. Fazer o quê se é a lei da vida?
Matheus Araujo Dias

domingo, 20 de janeiro de 2013

Quero conhecer você

Dedicado a: Aline Ribeiro
Você me deixa confuso! Não... é mais que isso, você me deixa perdido! E até agora eu estou tentando dizer pra mim mesmo se isso é bom ou ruim. Na verdade, eu estou tentando saber se você é bom ou ruim. Quem é você? Eu estou cansado de idealizar alguém sem saber exatamente como é, o que pensa... Eu tenho medo da forma que posso descobrir as coisas. Eu tenho medo de descobrir que você tem mágoas que não lhe permite amar. Eu tenho medo da forma que você fala sobre o amor... assim como você aparenta ter medo da forma que eu amo. Mas eu amo. Quer dizer, eu gosto. Ah, você tá me complicando. Eu não quero te amar, eu quero te conhecer. Quero saber o que pensa sobre mim. Quero saber se consigo mudar seus conceitos sobre o mundo. Quero saber se você se permitiria embarcar nessa comigo. Espera... quero saber se eu embarcaria mesmo! É, eu estou realmente perdido. Mas preciso de uma posição tua. Preciso não me torturar mais lembrando dos nossos segredos. Segredos que já foram à tona, mas continuam sendo nossos, até porque eles sabem, mas não sentiram... Diz pra mim que existe algum sentimento! Eu sinto sua falta. Do jeito que você quiser. Do jeito que você estiver. Do jeito que você pensar... quero você de volta. Enfim, estou me precipitando né? Quero conhecer você primeiro, depois de tanto tempo ao seu lado. Ou quase ao seu lado.

Matheus Araujo Dias