segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Ele não volta, não.

Não adianta suspirar, ele não volta, não.

É como se tudo viesse à tona.
Você já não faz mais sentido, e ele não faz mais questão.
Ora, você não ajoelha, não chora, nem tão pouco pede perdão.
Você nem se quer aprendeu que não só se ajoelha para fazer uma oração.
Acha que o controle sempre estará em tuas mãos.
Mas não tá. Não voltará. Pode até fazer drama, olhar pra si mesmo e murmurar.
Amor que é amor se renova, não pede tempo pra pensar. Nem pensar... 
Mas não adiantará nada eu dizer,
se entre todas as coisas do mundo, a mais importante é você.
Pra você. Pra ele não. Ele não se esqueceu das notas, mas já não ouve a canção. 

Mas veja bem, pode parecer até confuso,
mas não estou aqui pra lhe julgar não.
Você não é uma aberração.
Pensar em si mesmo é normal, natural, não trata-se de uma condição.
Mas pro amor reviver, as vezes é preciso abrir mão.
Porque quando se escolhe ir embora, a volta pode ser uma humilhação,
Depende do ponto de vista, ou da sua alucinação.
O amor nunca impôs regra, mas não é uma obsessão,
É carinho, é cultivo, e por muitas vezes trata-se de aceitação.
Até porquê ele não pensa como você, mas ele está com seu coração.

E agora, fingir que não faz mais falta ainda lhe parece a melhor opção?
Pode até ser que sim, como pode ser que não ...
Se for pra voltar, peça licença, e pegue apenas seu coração. 
Mas não adianta suspirar, ele não volta, não. 

Matheus Araujo Dias

3 comentários:

  1. "Ele não se esqueceu das notas, mas já não houve mas a canção"

    ResponderExcluir
  2. Seus textos provocam reflexões inimagináveis, parabéns cara, você vai longe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! É uma honra tê-lo por aqui, caro leitor.

      Excluir